Herpes Genital: Saiba tudo sobre essa DST!

0
Herpes Genital: Saiba tudo sobre essa DST!

O Herpes Genital é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) que afeta tanto os homens quanto as mulheres (sendo mais comum entre as mulheres), e que pode causar muita dor e desconforto.

Mesmo que a característica mais comum do Herpes Genital seja as bolhas e lesões, muitas pessoas não apresentam nenhum tipo de sintoma, e por isso o diagnóstico é mais complicado, e o risco de transmitir a doença para outras pessoas também.

Veja no artigo de hoje quais são os sintomas, como é o tratamento do Herpes Genital, como prevenir, se tem cura, os fatores de risco e o que fazer quando acontece uma crise durante a gravidez.

Sintomas

O diagnóstico (feito através de exame de sangue) é mais fácil quando o paciente apresenta sintomas, mas algumas pessoas nunca apresentam sinais do Herpes Genital e podem até mesmo nem saberem que têm essa doença. Veja os sintomas mais comuns:

  • Surgimento de manchas vermelhas e bolhas esbranquiçadas após a infecção;
  • Aparecimento de irritações e dores em torno de dois a dez dias após a contaminação;
  • Lesões e erupções nas regiões genitais;
  • Pequenas bolhas agrupadas nas regiões genitais;
  • Dor e possível sangramento ao urinar;
  • Há formação de cascas no momento da cicatrização;
  • Ínguas que causam sensibilidade na área da virilha;
  • No caso das mulheres, pode haver corrimento vaginal e dificuldade para urinar.

A pessoa infectada também pode apresentar sintomas muito similares ao da gripe, tais como:

  • Dores em diversas partes do corpo, principalmente na região lombar, coxas, joelhos e nádegas;
  • Febre;
  • Falta de apetite;
  • Mal-estar generalizado.

herpes genital como prevenir

Como se pega Herpes Genital?

O Herpes Genital é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), ou seja, é transmitida através do contato sexual  vaginal, anal ou oral sem proteção com uma pessoa infectada.

No sexo oral podem acontecer dois cenários: o primeiro, quando uma pessoa tem herpes labial (herpes simples tipo 1) e pode transmitir o vírus durante o sexo oral e causar o herpes genital no parceiro ou na parceira, e o segundo, quando o Herpes labial é causado pelo sexo oral em um parceiro que tenha herpes genital (herpes simples tipo 2).

Como dissemos, algumas pessoas não apresentam nenhum sintoma, então é comum que as pessoas achem que não seja necessário usar camisinha se o seu parceiro ou parceira não apresenta bolhas, lesões ou vermelhidão nos órgãos sexuais, e acabem pegando o Herpes Genital, porque ele também é transmitido por meio da saliva e fluídos do indivíduo infectado.

É importante dizer que se pega Herpes Genital tanto na fase ativa do vírus (quando existem os sintomas) quanto na fase de remissão (quando não existem bolhas ou lesões).

Herpes Genital tem cura?

Não. O Herpes Genital não tem cura, mas apesar de não ser possível eliminar o vírus do herpes do organismo, existe um tratamento para diminuir os sintomas e os incômodos, e é preciso fazer um monitoramento médico, como vamos falar a seguir.

Como é o tratamento?

O tratamento mais comum para Herpes Genital é feito através de uma combinação de remédios antivirais orais como Aciclovir, Fanciclovir ou Valaciclovir, durante cerca de 10 a 14 dias e pomadas de uso tópico como o Aciclovir creme, que aliviam os sintomas e curam as lesões na pele, evitando o desconforto.

A mulher deve fazer o tratamento com o médico ginecologista, e o homem com o urologista.

Tratamento caseiro para Herpes Genital

Além do tratamento convencional, você pode fazer um tratamento caseiro com um banho de assento com chá de manjerona ou hamamélis cerca de 4 vezes ao dia, para ajudar a diminuir a dor e a inflamação.

Como prevenir?

Assim como as outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), a forma de prevenir o Herpes Genital é através do uso de preservativos durante o sexo.

É importante lembrar que muitos casais abrem mão da camisinha durante o sexo oral, e que ainda que o Herpes Genital não esteja ativo (ou seja, que os órgãos genitais estejam sem bolhas ou lesões), é possível transmitir a doença e causar o Herpes labial.

Veja também um vídeo do Dr Drauzio Varela sobre a herpes genital:

Herpes genital na gravidez

Durante a gravidez todo tratamento feito com medicação deve ser supervisionado pelo médico obstetra, e se a grávida já tiver Herpes genital antes de ficar grávida e já fizer o uso contínuo de medicamentos, deve informar ao médico para saber se pode continuar ou não. Em geral, o tratamento mais indicado para herpes genital na gravidez é apenas no último mês de gestação (após a 36º semana), e pode ser recomendado evitar o parto normal para não transmitir o vírus ao bebê.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *