Cuidados com a moleira do bebê: Tire todas as suas dúvidas aqui!

0
Cuidados com a moleira do bebê: Tire todas as suas dúvidas aqui!

Quando um bebê nasce toda a rotina da casa onde a criança irá morar muda. Bebês necessitam de cuidados constantes, principalmente os recém nascidos! Eles são pequenos, frágeis e exigem cuidados contantes, seja com o umbigo, os banhos, as trocas de fraldas e até mesmo as moleiras! Você também tem dúvidas sobre elas? Contaremos para você quais cuidados com a moleira do bebê são necessários, confira!

O que é a moleira?

Antes de mais nada, nós precisamos entender o que é exatamente essa parte do crânio que desperta tanto medo nos pais. A moleira é aquela parte macia e flexível no alto da cabeça do bebê, que é possível sentir quando passamos a mão. Existe uma segunda moleira na cabeça, esta bem menor, que os pais geralmente não notam. Os médicos chamar esta parte do corpo do bebê de fontanela, mas é popularmente conhecida por moleira.

Os pais se preocupam justamente por ser um tecido mole, o que dá a impressão de ser extremamente sensível. E é frágil sim, mas não precisa de um cuidado excessivo. Pense nesta fontanela como uma espécia de lona. Ela funciona da mesma forma.

Para que serve a moleira?

A grande dúvida é esta, para que serve uma área tão frágil do corpo. Mas a utilidade dela é mais importante do que você imagina! O bebê enquanto está na barriga ainda não tem o crânio completamente formado. A cabela do bebê conta com várias placas de ossos soltas e duas moleiras. Essas moleiras são as responsáveis por manter o cérebro do bebê seguro enquanto ele passa pelo canal vaginal na hora do parto. Com os ossos soltos e as moleiras sensíveis, não há compressão do cérebro do bebê.

Outra vantagens das moleiras é que ela possibilita que o cérebro do bebê cresça e tenha o espaço necessário para isso nos primeiros meses da vida da criança.

Quando devo me preocupar?

É comum observar que a moleira principal, aquela que fica no topo da cabeça do bebê, pulsa todo o tempo e pulsa ainda mais quando o bebê está agitado ou chorando. Esse é um motivo de grande preocupação por parte dos pais, que muitas vezes vão a procura do pediatra apenas por isso. Já adiantamos que isso ocorre normalmente e não há motivo para desespero. Só deve preocupar se for muito forte e o bebê apresentar outros sintomas, como febre.

Outro ponto que chama a atenção dos pais é que alguns bebês podem apresentar um formato estranho no crânio logo após o parto. Porém, esse é um problema que costuma se resolver sozinho logo nos primeiros dias.

Vamos explicar quais são as situações onde os pais devem ficar atentos, confira:

  • Moleira levantada ou inchada: Se isso ocorrer acompanhada de episódios de febre pode indicar um quadro de meningite. O pediatra deve ser procurado imediatamente.
  • Moleira afundada: Se vier acompanhada de diarreia pode indicar uma desidratação do bebê.
  • Fechamento precoce: A moleira do bebê não deve se fechar antes dos seis meses. Caso isso ocorra a criança pode ter alguém problema congênito. Em alguns casos a intervenção cirúrgica será necessária e é por isso que o acompanhamento médico é tão necessário.
  • Demora para fechar: Costuma indicar hidrocefalia.

Quanto tempo a moleira dura?

A moleira só irá se fechar quando os ossos do crânio do bebe se encaixarem perfeitamente e formarem uma placa só. Isso só deverá ocorrer entre os 11 e os 15 meses. Para se ter uma ideia, neste período em que o bebê tem a moleira o seu cérebro crescerá cerca de 10 centímetros. Isso é metade do que ele crescerá pelos próximos 20 anos.

O que é Cranioestenose?

Existe um problema chamado cranioestenose. Ele ocorre quando as moleiras se fecham antes do tempo esperado, o que resulta em deformidades no crânio da criança, pois o cérebro fica sem espaço para crescer. Além das deformidades físicas, a cranioestenose também pode causar lesões neurológicas graves. Atinge mais meninos do que meninas, três para um, acometendo um em cada 2000 nascimentos.

Este problema não tem causa definida e o tratamento é cirúrgico. Ele tem por objetivo criar espaços para o desenvolvimento normal do cérebro e corrigir as deformidades existentes, prevenindo ou aliviando as sequelas que possam existir.

O que é a Plagiocefalia Posicional?

Outro problema que pode vir a ocorrer é a plagiocefalia posicional. A plagiocefalia é uma deformidade que causa assimetria do crânio e geralmente ocorre pelo posicionamento do bebê no útero, de um parto complicado ou de uma gravidez de gêmeos.  Em muitos casos a assimetria “some” com o tempo, porém se alguns cuidados não forem tomados antes do fechamento das moleiras essa assimetria ficará para sempre. Dentre as dicas para evitar que a assimetria se perpetue está a variação da posição da cabeça do bebê, ou seja, não deixar o bebê por muito tempo com a cabeça repousada sempre em mesma posição.

Veja este vídeo para mais informações:

Este artigo foi útil para você? Conta pra gente aqui nos comentários!

Você Também Irá Curtir

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *