Bicho geográfico: conheça a doença e saiba como tratá-la

0
Bicho geográfico: conheça a doença e saiba como tratá-la

O bicho geográfico é uma doença de pele cientificamente conhecida por Larva Migrans Cutânea e é causada pela entrada de um parasita chamado ancilostoma no organismo, através de feridas na pele.

É considerada uma doença de praia e também conhecido como “doença do verão”. Porém, a contaminação pode ocorrer até mesmo dentro da sua casa e apesar de ser mais comum em crianças, também atingem os adultos.

Como se contrai o bicho geográfico?

Os parasitas que causam o bicho geográfico ficam no intestino delgado e nas fezes de animais como cães e gatos. A pessoa é contaminada quando o local da sua ferida entra em contato com as fezes desses animais, no quintal de casa, na areia da praia ou de parquinhos infantis ou em quadras de esporte, por exemplo. A larva cresce em lugares que tenham umidade e calor.

As áreas mais afetadas são pernas e pés (ao andar descalço), mãos (principalmente de crianças que brincam com a areia) e nádegas (ao sentar na areia ou grama, por exemplo).

Quais são os sintomas?

As larvas podem ficar adormecidas sob a pele por muito tempo e por isso os sintomas da contaminação por bicho geográfico podem demorar algumas semanas ou até mesmo meses para aparecerem. Os sintomas mais comuns são:

  • Vermelhidão como a causada por uma picada de inseto;
  • Pequenas bolhas;
  • Coceira, que costuma piorar durante a noite, que é quando esse tipo de verme está mais ativo;
  • Sensação de ter alguma coisa “andando” sob a pele;
  • Inchaço na pele;
  • Presença de um “caminho” tortuoso vermelho e em alto relevo na pele, fazendo um desenho semelhante a um mapa (o que originou o nome bicho geográfico), que mostra por onde a larva passou.

Esse “túnel” que a larva faz sob a pele pode aumentar até 2 cm por dia, chegando a medir até 15 cm. Isso indica que a larva está viva, ou seja, a doença está ativa. Quando esse caminho sumir e a cor ficar mais clara, é um sinal de que a larva morreu.

Apesar de serem raros os casos onde as larvas atingem órgãos (como o intestino) e camadas mais profundas do corpo, o bicho geográfico pode eliminar uma substância tóxica dentro do corpo, provocando alergias, tosse e até mesmo asma. Diante destes sintomas aconselha-se buscar por auxílio médico o quanto antes.

Aplicar uma compressa de gelo sobre a região afetada ajuda a diminuir a coceira e pode matar o parasita. Repita o processo a cada duas horas por quinze minutos, até completar o total de 1h por dia.

Bicho geográfico

Bicho geográfico é contagioso?

O bicho geográfico não é contagioso, mas devido ao ato de coçar, podem ocorrer infecções secundárias.

Como tratar?

O diagnóstico do bicho geográfico é feito por um dermatologista ou clínico geral, sem a necessidade de exames laboratoriais, já que a principal característica da doença é o mapa desenhado pela larva, o que é visível a olho nu.

O tratamento pode ser feito com pomadas (no início da doença) por dez a quinze dias. Quando a doença é descoberta mais tarde, o tratamento é feito com comprimidos antiparasitários como o Tiabendazol, Albendazol ou Ivermectina, por exemplo, durante aproximadamente 7 a 10 dias.

Os sintomas costumam começar a desaparecer depois de 2 ou 3 dias de tratamento. Mas é importante tomar o remédio ou usar a pomada de acordo com a prescrição médica, para assegurar que o bicho geográfico seja completamente eliminado do organismo.

Atenção: Não aconselhamos tentar retirar as larvas com agulhas e alfinetes e é inútil furar as bolhas na intenção de matar o bicho geográfico.

Como prevenir?

Como a forma de contaminação é pelo contato com resquícios de fezes animais e as mãos, os pés e as nádegas (ao sentar na areia ou grama, por exemplo) estão entre as partes mais afetadas, as principais medidas para prevenir o bicho geográfico é protegendo o corpo do contato, evitando andar descalço, principalmente se estiver ferido, além de não sentar ou deitar na areia da praia ou na grama de jardins e praças sem a proteção de uma toalha, esteira ou canga.

Você também pode prevenir o bicho geográfico levando o seu animal de estimação ao veterinário para vermifugar, protegendo o seu animal, a sua família e à vizinhança. Os animais que apresentam infecções agudas podem apresentar sintomas como anemia, fadiga e às vezes, dificuldade respiratória. Nos casos de infecções crônicas, normalmente o animal apresenta-se abaixo do peso ideal e tem a pelagem escassa.

Você Também Irá Curtir

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (45 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *