Eritroblastose fetal: Como ocorre? Tem prevenção? Qual o tratamento? Suas respostas aqui!

0
Eritroblastose fetal: Como ocorre? Tem prevenção? Qual o tratamento? Suas respostas aqui!

A eritroblastose fetal é uma doença que pode acontecer com crianças recém-nascidas, ou, até mesmo, antes delas nascerem. A notícia positiva é que a causa desse problema é mais do que conhecida pela medicina e ela é tratável e tem chance total de cura.

Nos tópicos a seguir você vai conhecer tudo a respeito da eritroblastose fetal. O que ela é, as suas causas, o tratamento, o porquê dela ocorrer, entre outras respostas para as suas principais perguntas. Confira!

O que é?

A eritroblastose fetal é uma enfermidade que atinge recém-nascidos e também é conhecida como doença hemolítica. Ela ocorre quando a mãe produz anticorpos que atacam o próprio bebê dentro da barriga dela, pois o organismo acredita ser um tipo de infecção.

A criança recém-nascida pode ter vários problemas em consequência dessa atitude do corpo da mãe. Pode ter transtornos no fígado, ter anemia grave e outras questões de saúde bem preocupantes.

Por isso e também por outras questões que os exames e todo o acompanhamento do pré-natal é super importante para uma gestação saudável. Somente isso pode descobrir a eritroblastose fetal com antecedência para poder tratá-la e livrar a criança de todos os problemas causados por essa grave doença.

Como ocorre a eritroblastose fetal?

O sangue humano é dividido em algumas características próprias, uma dessas características é o fator Rh. O fator Rh de uma pessoa pode ser positivo ou negativo e nem sempre o da mãe é o mesmo que o do filho.

Quando uma mãe tem o Rh negativo e engravida de uma criança que possui rH positivo, da primeira vez, não ocorre nada, normalmente. Porém, se ela engravidar de novo e o filho novamente tiver Rh positivo, o corpo dela vai criar anticorpos que vão enfrentar esse bebê como se ele fosse uma infecção.

Só há uma forma de uma mãe ter Rh negativo e o filho ter Rh positivo: se o pai tiver Rh positivo. Por isso, é muito comum no pré-natal que o próprio faça alguns exames de sangue para descobrir não apenas o Rh, mas também outras questões que podem interferir na gestação.

Causas

A única causa da eritroblastose fetal é, exatamente, essa produção de anticorpos por conta de Rhs diferentes em mais de uma gestação. É muito raro, incomum mesmo, que já na primeira gestação de um filho com Rh positivo, a mãe de Rh negativo produza anticorpos que enfrentem esse bebê.

O mais comum é que isso ocorra na segunda gestação, caso a situação seja a mesma. Porém, é tudo tratável e com altas chances de sucesso se a mãe fizer o pré-natal, descobrir esse fato cedo e começar o tratamento no momento certo.

Eritroblastose fetal imagem


➥➥➥ LEIA MAIS CONTEÚDO: No texto sobre Calculadora Gestacional!!!


Diagnóstico

Para fazer o diagnóstico é simples. Basta descobrir o Rh da mãe, do pai e do bebê. Se for diferente, o médico já fica com atenção nessa questão. Assim que começar o corpo a expelir os glóbulos brancos para atacar o feto, o especialista já começa o tratamento que vai evitar os problemas de saúde no recém-nascido.

Existe vacina para essa doença?

Não existe vacina para a eritroblastose fetal. O que é feito é um tratamento por meio de injeções que ajudam o bebê a nascer com saúde e sem nenhum outro tipo de problema físico ou mental.

Imunologia

Os glóbulos brancos produzidos pela mãe atacam as hemácias do feto. Por isso, é como se fosse o sistema imunológico enfrentando uma infecção. Isso ocorre de forma incessante por toda a gestação e pode gerar até o aborto em casos mais graves.

Porém, existe uma forma de evitar isso. Já na primeira gestação, quando se descobre as diferenças de Rh, o médico aplica uma injeção de imunoglobulina anti-D na 28ª semana de gravidez. Essa injeção vai fazer com que o corpo da mulher não fabrique anticorpos contra esse primeiro bebê e, assim, evite o aparecimento da eritroblastose fetal na segunda gestação.

Outra forma de fazer a injeção dessa substância é três dias após o parto. O objetivo é exatamente o mesmo e evita que a segunda gestação da mulher seja perigosa para o bebê.

Eritroblastose fetal imagem


➥➥➥ Dicas INCRÍVEIS para EMAGRECER DEPOIS DA GRAVIDEZ. CONFIRA AQUI!!!


Tratamento

Caso a mãe não faça o pré-natal, não tome as injeções e tenha uma segunda gestação sem a proteção da imunoglobulina anti-D, vai ser necessário fazer um tratamento para evitar que esse feto morra ou que o bebê nasça com problemas de saúde.

O tratamento é feito ainda quando é feto, dentro do útero da mulher. O médico faz transfusões de sangue que tentam corrigir a anemia e os problemas no fígado antes do nascimento do bebê.

Outro fato é que o médico pode adiantar o nascimento do bebê, em casos mais graves, assim que os pulmões e o coração estiverem bem desenvolvidos.

Se tiver ainda alguma dúvida sobre a eritroblastose fetal, deixe o seu comentário aqui embaixo!

Você Também Irá Curtir

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *