Febre amarela: O que é? Quais os sintomas? Tem tratamento?

0
Febre amarela: O que é? Quais os sintomas? Tem tratamento?

Desde de 2017 a febre amarela é uma das doenças transmitidas por mosquitos que mais causam morte, ficando só atrás da dengue. Em 2019 o Ministério da Saúde divulgou o dado que desde de janeiro foram registrados 14 mortes. Esse número vem reduzindo nos últimos anos graças ao movimento de prevenção da doença que é possível se a pessoa tomar a vacina. No ano de 2017 houve um surto e o estado de Minas foi o mais atingindo com mais de 80 mortes em pouco mais de 3 meses. Para te manter informando, explicamos o que é, como  é transmitida os sintomas e muito mais nesse post. Leia e não esqueça de comentar o que você achou!

O que é a Febre Amarela?

o que é febre amarela

A Febre Amarela é uma doença infecciosa que é transmitida pela picada de mosquito do gênero Flavivirus febricis ele pertence a família Flavaviviridae. Sua divisão é entre duas fases: a febre urbana e a silvestre. A doença é considerada séria, por ser aguda e frequentemente hemorrágica. Ela recebe este nome por adicionar uma coloração amarelada a pele, o que é conhecido no meio médico pelo nome de icterícia.

É um vírus de clima tropical, que costuma ser encontrado em diversas áreas da América do Sul e da África. É um vírus que deixa as pessoas extremamente preocupadas, mas é válido lembrar que a maioria das pessoas não apresenta nenhum sintoma e logo evoluem para a cura.

Como funciona o diagnóstico da febre amarela?

como diagnosticar

 

O diagnóstico da doença leva em conta os sintomas que o paciente apresenta. Perguntas muito comuns são: se o paciente já foi vacinado, há quanto tempo e quantas pessoas ele conhece que já pegaram a doença, se visitou ou reside em áreas de alerta, se observou a morte de macacos perto de casa ou aonde visitou ultimamente. Todas as questões têm relevância no diagnóstico.

Só é possível confirmar a doença com exames laboratoriais. Se os resultados dos testes forem positivos, a única forma de impedir que o vírus se espalhe é a vacinação.

Qual a diferença entre a febre urbana e a silvestre?

A doença é a mesma, a diferenciação do ciclo de transmissão apenas ajuda nas estratégias para evitar a disseminação da febre amarela. O que muda é o mosquito transmissor, que também é o reservatório do vírus. Na silvestre, é principalmente o Haemagogus janthinomys e, em menor escala, os do gênero Sabethes. O da urbana, o Aedes aegypti. A forma urbana preocupa mais devido à ampla distribuição do Aedes.

Quais são os sintomas?

sintomas da febre amarela

Como já foi dito acima, grande parte das pessoas que contraem o vírus da Febre Amarela não apresentam os sintomas, mas é de extrema importância que você saiba reconhecê-los. Confira:

  • Febre
  • Dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas
  • Dor de cabeça
  • Perda de apetite
  • Náuseas e vômito
  • Olhos, face ou língua avermelhada
  • Fotofobia
  • Fadiga e fraqueza.

Nesta fase, que é conhecida como aguda, os sintomas costumam durar entre três e quatro dias. Porém, um pequeno grupo de pessoas costuma apresentar sintomas graves após 24 horas do desaparecimento dos sintomas mais simples. Esta fase é chamada como tóxica e pode atingir a todos os órgãos, em especial rins podendo até causar graves problemas no fígado. Os sintomas são:

  • Retorno da febre alta
  • Icterícia, devido ao dano que o vírus causa no fígado
  • Urina escura
  • Dores abdominais
  • Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago.

Se o caso for ainda mais grave o paciente pode apresentar delírios, convulsão e em último caso até entrar em coma.

Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias.

Existe tratamento ou cura para febre amarela ?

Não existe nenhum tratamento exclusivo para a febre amarela, o que existe é o tratamento dos sintomas. Caso o paciente esteja hospitalizado, é recomendada a ingestão de muitos líquidos e a reposição sanguínea quando for necessário, os bancos de sangue ficam sobrecarregados nas épocas de surto, portanto a doação de sangue é fundamental. Se o caso for muito grave o paciente deve ser encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva.

É válido lembrar que a aspirina deve ser evitada durante o tratamento, pois há chances de a doença se desenvolver para a sua forma hemorrágica.

Áreas de risco que tem a maior chance de infecção

O vírus pode ser transmitido pelo mosquito Aedys Aegypti. Ele está presente em 3600 municípios brasileiros. Confira abaixo as regiões do Brasil que tem a maior chance de infecção pelo mosquito.

  • Norte: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins
  • Nordeste: Bahia, Maranhão, Piauí
  • Centro-Oeste: Goiás (incluindo Brasília-DF), Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
  • Sudeste: Espírito Santo, Minas Gerais (todos os municípios, incluindo Belo Horizonte) e São Paulo
  • Sul: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina.

Recomendações de como lidar com o mosquito

recomendações de prevenção contra o mosquito

Erradicar o mosquito transmissor da febre amarela se tornou uma missão quase que impossível. Mas o combate diário é um ótimo começo nessa longa guerra. Essas medidas vão evitar os surtos descontrolados. Por isso é fundamental que todos cumpram suas funções básicas, que são elas:

  • Eliminar focos de água parada que possam servir de criadouros para os mosquitos
  • Usar repelente de inseto no corpo, principalmente na nunca e nas orelhas, não se esqueça de aplicar nas roupas. Lembre-se que a você deve aplicá-lo de quatro em quatro horas. Caso transpire muito diminua esse período para de duas em duas horas.
  • Sempre que possível use calças e camisas que cubram a maior parte do corpo
  • Compre telas protetoras contra mosquitos para cobrir janelas e portas
  • Reaplicar o repelente toda vez que molhar o corpo ou entrar na água
  • Caso for viajar, consulte um médico de atendimento ao viajante e se informe sobre a necessidade de tomar a vacina antes de sair de casa. Alguns países exigem um Certificado Internacional de Vacinação atualizado.

Como prevenir a febre amarela?

prevenção contra febre amarela

A vacinação é considerada pela Organização Mundial da Saúde a forma mais importante de prevenir a febre amarela. Tanto que é a vacinação frequente que impede que a doença de espalhe mesmo em áreas endêmicas. É preciso que ao menos 80% da população seja imunizada contra um vírus para prevenir a doença nestas regiões.

Veja a seguir como deve ser a vacinação em áreas endêmicas:

  • De 6 meses a 9 meses de idade incompletos: a vacina está indicada somente em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem inadiável para área de risco de contrair a doença
  • De 9 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias de idade: é indicado uma dose aos 9 meses de idade e uma dose de reforço aos 4 anos de idade
  • A partir dos 5 anos de idade: se a pessoa já recebeu uma vacina, pode-se dar mais uma dose. Se ela nunca foi vacinada, é preciso dar uma dose inicial e outra de reforço 10 anos depois.
  • No caso de viajantes, o recomendado aqui no Brasil é realizar a vacinação 10 dias antes da viagem, no caso de primeira vacinação, já que os anticorpos protetores aparecem entre sete e dez dias após o contato com o vírus. De acordo com as Regulações de Saúde Internacionais, os países têm o direito de requerer de viajantes o certificado da vacinação contra a febre amarela.

Para mais informações assista a este vídeo:

Este artigo foi útil para você? Conta pra gente aqui nos comentários!

Você Também Irá Curtir

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *